Seja Sócio

Futebol de Saudades…

Em terça-feira, 16 junho de 2020
Álvaro José Silva

Vivi o ápice do futebol capixaba, ao menos para minha idade. Não vi Adjalma no gol, mas sei que foi grande porque um admirador e reserva, Thiers Pedro Bonacossa dizia isso.

Vou citar nessa crônica um único jogador: Edalmo Peçanha Liberato.

Foi um grande goleiro que começou no Botafogo mas fez a vida quase toda na Desportiva. Uma bela carreira.

Lembro-me da homenagem que prestei a ele quando de sua despedida dos gramados, nas páginas de A Gazeta, pois era merecida. Mas me lembro também das histórias engraçadas contadas por ele.

Fez uma defesa cinematográfica num jogo contra o Rio Branco. Garantiu a vitória da Desportiva e quando saia de campo ouviu um torcedor gritando: “Edalmo”, “Edalmo meu irmão”, “Edalmo meu amigo”. Entendeu que era um torcedor de seu clube e olhou para trás. Só então viu a camisa rio-branquense no peito do torcedor que emendava:

– Filho da p…